As consequências sociais do rompimento da barragem de fundão em Mariana (Minas Gerais – Brasil): uma análise por meio de pesquisa de campo

Caroline Paaz, Leonardo da Rocha de Souza

Resum

Este artigo procura demonstrar as conseqüências sociais da ruptura do Fundão na ruptura de Mariana (Minas Gerais - Brasil) , como uma abordagem à gravidade do desastre . Para isso, foi feita umalevantamentos de campo, como pessoas afetadas por esse desastre ambiental, recolhendo-se através de um questionário, realizando uma pesquisa qualitativa como método de estudo de caso. A busca encontrou limitações práticas diante da resposta de alguns entrevistados ao responder perguntas, o que limitou o número de respondentes. Como resultado, foi possível perceber a preponderância dos interesses econômicos sobre os direitos humanos dos governantes, como reflexo amplo das situações de vulnerabilidades e infrações ambientais. O diferencial deste artigo está no método utilizado, que permitiu verificar diretamente como aqueles percebiam a entrada do mineiro e como o desastre os afetava.


Paraules clau

Desastre ambiental; Deslocados Ambientais; Barragem de Fundão; Sustentabilidade Socioambiental

Referències


ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BENINCÁ, Dirceu. Energia e cidadania: a luta dos atingidos por barragens. São Paulo: Cortez, 2011.

BOSSELMANN, Klaus. Direitos Humanos, meio ambiente e sustentabilidade. Revista do Centro de Estudos de Direito do Ordenamento, do Urbanismo e do Ambiente. n. 21, ano XI, 2008, p. 9-38, Disponível em: <https://digitalis-dsp.uc.pt/bitstream/10316.2/8821/3/1.pdf?ln=pt-pt p.20>. Acesso em: 17 out. 2017.

BÜHRING, Marcia Andrea. A efetiva função da propriedade: a socioambiental. Caxias do Sul: Educs, 2016.

CAUBET, Chistian G. Tratados internacionais, direitos fundamentais, humanos e difusos: os estados contra o bem viver de suas populações. Florianópolis: Insular, 2016.

CORRÊA, Jacson. Proteção ambiental e atividade minerária. Curitiba: Juruá, 2002.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DECLARAÇÃO Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: <https://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10133.htm>. Acesso em: 03 de mar. 2017.

DESASTRES naturais: conhecer para prevenir. São Paulo: Instituto Geológico, 2009. Disponível em: <http://www.igeologico.sp.gov.br/downloads/livros/DesastresNaturais.pdf>. Acesso em: 05 mar. 2017.

FENSTERSEIFER, Tiago. Direitos fundamentais e proteção do ambiente: a dimensão ecológica da dignidade humana no marco jurídico constitucional do estado socioambiental de direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

FERREIRA, Dallyla Taís Milhomem et al. Perdas simbólicas e os atingidos por barragens: o casdo da Usina Hidrelétrica de Estreito, Brasil. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 30, p. 73-87, jul. 2014. Disponível em: <http://revistas.ufpr.br/made/article/view/34187>. Acesso em: 03 out. 2017.

FREITAS, Carlos Machado de et al. Vulnerabilidade socioambiental, redução de riscos de desastres e construção da resiliência: lições do terremoto no Haiti e das chuvas fortes na Região Serrana, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 6, p. 1577-1586, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n6/v17n6a21.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2017.

IGREJA CATÓLICA. (Papa Francisco). Carta Encíclica Laudatio Si’: sobre o cuidado da casa comum. Disponível em: <http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html>. Acesso em: 05 jul. 2017.

LAMA de Mariana avança rumo ao mar e revolta população. Época, São Paulo, 19 nov. 2015. Disponível em: <http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2015/11/lama-de-mariana-avanca-rumo-ao-mar-e-revolta-populacao.html>. Acesso em: 02 out. 2017.

LEANDRO, Janine Barreira. Comunidade: uma reflexão a partir de Zygmunt Bauman. Kairós, Revista Acadêmica da Prainha, v. 5, n. 1, jan./jun. 2008.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complejidad, poder. Madrid: Siglo Veintiuno, 2001.

MALERMA, Julianna; MILANEZ, Bruno. Um novo código mineral para quê? Le Monde Diplomatique Brasil, v. 6, n. 65, dez. 2012.

MENESTRINO, E. Povos tradicionais: do lugar ao não-lugar. Dissertação (Mestrado em Ciências do Ambiente) – Pós-Graduação em Ciências do Ambiente, Universidade Federal do Tocantins, Palmas, 2010.

OLIVEIRA FILHO, Luís Carlos Iuñes de. Análise de risco ecológica e mesofauna em áreas de mineração. Lages: [s.n.], 2013.

PARANAÍBA, Guilherme. Moradores de cidades atingidas por tragédia em Mariana não se adaptaram à nova realidade. 03 nov. 2016. Disponível em: <http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/11/03/interna_gerais,820481/moradores-de-cidades-atingidas-por-tragedia-em-mariana-nao-se-adaptara.shtml>. Acesso em: 05 mar. 2017.

SACBIN, Flávia; ACCA, Thiago. Barrados na barragem: Nosso desejo de não ficar no escuro não justifica que milhares tenham direitos violados. O Estado de São Paulo, São Paulo, 28 fev. 2015. Disponível em: <http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,barrados-na-barragem,1641594>. Acesso em: 28 jul. 2017.

SANTOS, Bruno Hermes de Oliveira. Um sonho de pertencimento: o fenômeno comunitário à luz do pensamento de Zygmunt Bauman. Revista Habitus: Revista da Graduação em Ciências Sociais do IFCS/UFRJ, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 113-120, dez. 2014. Disponível em: <https://Revistas.Ufrj.Br/Index.Php/Habitus/Article/Viewfile/11441/8391>. Acesso em: 10 set. 2017.

SARLET, Ingo Wolfgang. Notas sobre a assim designada proibição de retrocesso social no constitucionalismo latino-americano. Revista do TST, Brasília, v. 75, n. 3, p. 116-149, jul/set 2009. Disponível em: <http://www.abdpc.com.br/admin/midias/anexos/1440694885.pdf>. Acesso em: 26 set. 2017.

SEPARATE opinion of vice-president weeramantry. Disponível em: <http://www.icj-cij.org/files/case-related/92/092-19970925-JUD-01-03-EN.pdf>. Acesso em: 17 out. 2017.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 34. ed. rev e atual. São Paulo: Malheiros, 2011.

SILVEIRA, Clóvis Eduardo Malinverni. Risco ecológico abusivo: a tutela do patrimônio ambiental nos processos coletivos em face do risco socialmente intolerável. Caxias do Sul: EDUCS, 2014.

STEINMTZ, Wilson. A vinculação dos particulares a direitos fundamentais. São Paulo: Malheiros, 2004.

UNITED NATIONS OFFICE FOR DISASTER RISK REDUCTION. Terminology. Disponível em: <http://www.unisdr.org/we/inform/terminology>. Acesso em: 04 out. 2017.




DOI: https://doi.org/10.17345/rcda2423



Enllaços refback

  • No hi ha cap enllaç refback.


Copyright (c) 2018 Revista Catalana de Dret Ambiental