Enseñar y aprender en las nuevas condiciones de la era digital: desafíos para contextos de lectura y escritura transformados

Autores/as

  • Janaina Minelli de Oliveira Universitat Rovira i Virgili http://orcid.org/0000-0001-5946-3622
  • Patrícia Rodrigues Tanuri Baptista Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Lílian Arão Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Palabras clave:

Era digital, tecnología, enseñando, Comunicación, discurso

Resumen

Este trabajo presenta un análisis de algunos de los desafíos que experimentan los educadores y las instituciones educativas en la era digital. Se elabora una reflexión sobre la cibercultura y la construcción del conocimiento, evaluando las consecuencias de este fenómeno para las prácticas de enseñar y aprender a leer y escribir en entornos transformados por las tecnologías de la comunicación. Superando nociones de las primeras teorías de la comunicación, se adopta una perspectiva discursiva para argumentar que el acto comunicativo hoy debe entenderse como una acción compleja, constitutiva del sujeto sociohistórico, motivado por su intencionalidad. En esta forma de ver la lectura y la escritura surgen desafíos como la redistribución de la autoridad en los contextos educativos, los nuevos roles asignados a los sujetos que participan en el proceso de aprendizaje, así como el adecuado intercambio interlocutor mediado por la tecnología. La era digital introduce procesos de resignificación de la experiencia de enseñanza y aprendizaje, en los que todos los involucrados se basan en la búsqueda de la co-construcción del conocimiento que se da, simultáneamente, de forma autónoma y cooperativa.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Janaina Minelli de Oliveira, Universitat Rovira i Virgili

Janaina Minelli de Oliveira é professora no Departamento de Pedagogia da Faculdade de Ciências da Educação e Psicologia da Universidade Rovira I Virgili (Espanha). É licenciada em Filologia Inglesa pela universidade Federal de Minas Gerais, onde também obteve o doutorado em Lingüística Aplicada. Seus interesses de pesquisa incluem semiótica social, a criatividade, educação e tecnologia. Ela faz parte do grupo de pesquisa ARGET (Applied Research Group in Educational Technology

Patrícia Rodrigues Tanuri Baptista, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

A Professora Patrícia Rodrigues Tanuri Baptista possui Licenciatura Plena em Letras pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Mestrado em Letras-Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Doutorado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Análise do Discurso, atuando principalmente nos seguintes temas: interação, identidade social, ethos, edição e revisão de texto, assim como ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa. Como atividade docente, tem experiência com as disciplinas da área de Comunicação, Leitura e Produção de Textos, Semântica e Pragmática no Curso de Letras do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Além disso, faz parte do grupo de pesquisa do CNPq Escritas Profissionais e processos de edição do Cefet- MG e COMPLEX COGNITIO - uma visão integrada da cognição humana: corpo, cérebro, mente, linguagem, significação da PUC- Minas.

Lílian Arão, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Lílian Arão é Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e professora do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) onde atua como membro permanente do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Estudos de Linguagens e docente do Curso de Graduação em Letras- Tecnologias da Edição . Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Análise do Discurso, atuando principalmente com os seguintes temas: análise do discurso, mídia, discurso publicitário,discurso informativo, análise dos efeitos de sentido em discursos audiovisuais, interação, hipermídia, memória e identidade.

Citas

Baker, M.J., Quignard, M., Lund, K. & Séjourné, A. (2003). Computer-supported collaborative learning in the space of debate. In B. Wasson, S. Ludvigsen & U. Hoppe (Eds.) Designing for Change in Networked Learning Environments : Proceedings of the International Conference on Computer Support for Collaborative Learning 2003, pp. 11-20. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers.

Benveniste, E. (1958). Problemas de linguística geral I. Campinas: Pontes, 1988,p.285.

Bereiter, C., & Scardamalia, M. (1993). Surpassing ourselves: Aninquiry into the nature and implications of expertise. Chicago: Open Court.

Carneiro, M.; Geller, M.; Passerino, L. Navegando em Ambientes Virtuais: Metodologias e Estratégias para o Novo Aluno. Disponível em:< http://www.ufrgs.br/nucleoead/documentos/carneiroNavegando.pdf>. Acesso em 24 maio 2016.

Charaudeau, P. (2006). Discurso das mídias. São Paulo: Contexto.

Chartier, R. (1994) Do códex à tela: as trajetórias do escrito. In: CHARTIER, R. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília, DF: UnB. p. 95-111.

Coscarelli, Carla Viana. Reading multiple sources on line. Disponível em:< www.rsd.ucpel.tche.br/index.php/rle/article/viewFile/1147/809>. Acesso em 02 jun.2016.

Crook, C. (1996). Computers and the collaborative experience of learning. New York: Routledge.

De Oliveira, J. M., Henriksen, D., CastaD., Casta.Marimon, M., BarberB, E., Monereo, C., C Mishra, P. (2015) The educational landscape of the digital age: Communication practices pushing (us) forward (Special Issue). RUSC. Universities and Knowledge Society Journal, Vol. 12, No. 2, pp. 14–29. doi:http://dx.doi.org/10.7238/rusc.v12i2.2440

Dillenbourg, P (2000). Virtual learning environments. Workshop on virtual learning environments. Retrieved from http://tecfa.unige.ch/tecfa/publicat/dil-papers-2/Dil.7.5.18.pdf

Eco, U. (1979) Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva.

Freire, P. (2003) Pedagogia da autonomia - saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Harasin, L. et al (2000). Redes de aprendizaje. Guía para la enseñanza y el aprendizaje en red. Barcelona: Gedisa.

Jewitt, C. (2006). Technology, literacy, learning: A multimodality approach. London: Routledge.

Lave, J., & Wenger, E. (1991). Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press.

Lemos, André. Cibercultura como território recombinante. Disponível em: < http://www.com.ufv.br/cibercultura/wp-content/uploads/2014/02/01.-Andr%C3%A9-Lemos-Cibercultura-como-Territ%C3%B3rio-Recombinante.pdf>. Acesso em: 02 jun.2016.

Lévy, P. (1999). Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34.

Kress, G. (2006). Meaning, learning and representation in a social semiotic approach to multimodal communication. In A. McCabe, M. O’Donnell, & R. Whittaker (Eds.), Advances in Language and Education (pp. 15–39). London: Continuum.

MARI, H. (2016) Linguagens, discursos e tecnologias.Conferência Programa de Pós-graduação em Estudos de linguagens. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. 23 fev. 2016. Texto impresso, p.3.

Moran, J. M. (2003) Contribuições para uma pedagogia da educação online. In: SILVA, M. (org.) Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. São Paulo, Loyola.

MORAN, J. M. Educação inovadora na sociedade da informação. Disponível em: . Acesso em 24 maio 2016.

Pretti, O. (2002). Fundamentos e políticas em educação a distância. Curitiba: IBPEX.

Rogoff, B. (1993). Aprendices del pensamiento. El desarrollo cognitivo en el contexto social. Barcelona: Paidós.

Soares, M. (2002) Novas práticas de leitura e escrita: letramento digital. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13935.pdf>. Acesso em: 31 maio 2016.

Soek A. M; Gomes, D. L. (2008) As relações de ensino/aprendizagem na Educação a Distância e o trabalho do tutor como mediador do conhecimento. In: Revista Intersaberes/ano3 n. 6, p. 166 - 176 | ISSN 1809-7286.

Vygotsky, L. (1978). Mind in society: The development of higher psychological processes. Cambridge, MA: Harvard University Press.

Wenger, E (2001). Comunidades de práctica. Aprendizaje, significado e identidad. Barcelona: Paidós.

Publicado

28-06-2016

Cómo citar

de Oliveira, J. M., Baptista, P. R. T., & Arão, L. (2016). Enseñar y aprender en las nuevas condiciones de la era digital: desafíos para contextos de lectura y escritura transformados. UTE Teaching & Technology (Universitas Tarraconensis), 1(1), 29–39. Recuperado a partir de https://revistes.urv.cat/index.php/ute/article/view/975

Número

Sección

Artículos