O direito internacional e a biopirataria na Amazônia: Uma análise das ações das empresas privadas multinacionais à luz dos deveres fundamentais

Adriano Sant'ana Pedra, Luisa Cortat Simonetti Gonçalves, Sara Francisco Carvalho

Resum

Este trabalho tem como objetivo analisar a atuação de empresas privadas internacionais que cometem biopirataria na Floresta Amazônica Brasileira. E pretende averiguar se mesmo sem legislação especifica que criminalize essa ação, há alguma vedação a ela no país, e quais as consequências jurídicas do reconhecimento de um dever fundamental no ordenamento jurídico brasileiro. Para atingir esse objetivo, o artigo aborda o conceito da biopirataria, os casos existentes, as relações sociais globais, a legislação internacional e nacional e finalmente a Teoria dos Deveres Fundamentais para compreender a aplicação do caput do art. 225 da CF/88. A presente pesquisa utilizou um embasamento teórico fundamentado em pesquisas bibliográficas e documentais, das legislações vigentes. A metodologia utilizada na pesquisa foi o método dialético. Obteve-se como resultado do presente trabalho que a biopirataria, apesar de não possuir nenhuma vedação nos tratados em que o Brasil é signatário nem na legislação ambiental nacional, encontra vedação na Constituição, especialmente no dever fundamental de preservação do meio ambiente. Apesar de pouco abordados, a aplicação do dever fundamental, impõe consequências jurídicas a toda a coletividade e pode restringir a ação das multinacionais e impor ao Estado a obrigação de realizar o controle de constitucionalidade.


Paraules clau

Amazônia; Meio ambiente; Deveres fundamentais; Biopirataria.

Referències


ARAUJO, Ângela Maria Carneiro de. Globalização e Trabalho: Uma Resenha da Literatura. BIB-Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, São Paulo, nº 52, pág. 5-44, 2º semestre de 2001. Disponível em: https://www.anpocs.com/index.php/bib-pt/bib-52/524-globalizacao-e-trabalho-uma-resenha-da-lliteratura/file. Acesso em: 11 nov. 2020.

ABIKAIR FILHO, Jorge; FABRIZ, Daury César. A teoria geral da prestação do dever fundamental, sob a ótica de lévinas. Derecho y Cambio Social, Lima, a. 10, nº 31, p. 1-14, 2013. Disponível em: https://www.derechoycambiosocial.com/revista031/A_TEORIA_GERAL_DA_PRESTA%C3%87%C3%83O.pdf. Acesso em: 11 nov. 2020.

AMAZONLINK. Biopirataria na Amazônia – perguntas e respostas. Disponível em: http://www.amazonlink.org/biopirataria/biopirataria_faq.htm#biopirataria. Acesso em: 16 out. 2019.

ANUNCIAÇÃO, Silvio. Lei de patentes é a porta da biopirataria, aponta tese. Jornal da UNICAMP, Campinas, São Paulo, nº 619, p. 3, março, 2015. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/sites/default/files/jornal/paginas/ju_619_paginacor_03_web_0.pdf. Acesso em: 16 out. 2019.

ARAGÃO, Marina; TEIXEIRA, Milena. Crise das queimadas na Amazônia é assunto para ciências da nutureza e humanas. O Estado de S. Paulo, São Paulo, outubro, 2019. Disponível em: https://educacao.estadao.com.br/blogs/estadao-na-escola/2019/10/15/crise-das-queimadas-na-amazonia-e-assunto-para-ciencias-da-natureza-e-humanas/. Acesso em: 16 out. 2019

ARMADA; Charles Alexandre Souza; ANTUNES, Maria Júlia Minella. O “esverdeamento” da Corte Interamericana de Direitos Humanos: consequências e perspectivas. Revista Internacional de Direito Ambiental, vol. IX, nº 25, p. 39-68 ,janeiro-abril, 2020.

ARSENAULT, Chris. Battling 'biopiracy', scientists catalog the Amazon's genetic wealth. Thomson Reuters, dezembro, 2018. Disponível em: https://www.reuters.com/article/us-amazon-biopiracy-genetics-feature/battling-biopiracy-scientists-catalog-the-amazons-genetic-wealth-idUSKCN1OJ02Z. Acesso em: 16 out. 2019.

BRANDÃO, André da Fonseca; AUGUSTIN, Sérgio. O dever fundamental de proteção do meio ambiente e as consequências jurídicas de seu reconhecimento. Revista Direito Ambiental e Sociedade, v. 8, n. 2, p. 39-55, 2018. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/direitoambiental/article/view/6556. Acesso em: 13 nov. 2020.

BRASIL. Constituição 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 14 nov. 2020.

_______. Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 31 dez. 1940. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm. Acesso em: 9 nov. 2020.

_______. Lei nº 13.123, de 20 de maio de 2015. Regulamenta o inciso II do § 1º e o § 4º do art. 225 da Constituição Federal, o Artigo 1, a alínea j do Artigo 8, a alínea c do Artigo 10, o Artigo 15 e os §§ 3º e 4º do Artigo 16 da Convenção sobre Diversidade Biológica, promulgada pelo Decreto nº 2.519, de 16 de março de 1998; dispõe sobre o acesso ao patrimônio genético, sobre a proteção e o acesso ao conhecimento tradicional associado e sobre a repartição de benefícios para conservação e uso sustentável da biodiversidade; revoga a Medida Provisória nº 2.186-16, de 23 de agosto de 2001; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil03/Ato2015-2018/2015/Lei/L13123.htm. Acesso em: 19 abr. 2020.

_______. Comissão parlamentar de inquérito que investiga o tráfico de animais e plantas silvestres brasileiras, a exploração e comércio ilegal de madeira e a biopirataria no país (CPIBIOPI). Requerimento de prorrogação/2006. Disponível em:

https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=B57D6E66E0558AFE85D8503CE28D5180.proposicoesWebExterno2?codteor=375335&filename=REQ+164/2006+CPIBIOPI. Acesso em: 12 jan. 2020.

_______. Ministério do Meio Ambiente. Decreto Legislativo nº 2, de 1994. Convenção Sobre Diversidade Biológica – CDB. Disponível em: https://www.mma.gov.br/informma/item/7513-convencao-sobre-diversidade-biologica-cdb. Acesso em: 05 mai. 2020.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Debatedores apontam dificuldades para implementar projetos de cooperação na Amazônia. Relações Exteriores, 12 julho de 2018. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cindra/amazonia-legal/mais-informacoes-sobre-a-amazonia-legal. Acesso em: 12 abr. 2020.

DANLEY, Vanessa. Biopiracy in the Brazilian Amazon: Learning from International and Comparative Law Successes and Shortcomings to Help Promote Biodiversity Conservation in Brazil. Florida A&M University Law Review, Orlando, Florida, Vol.7, nº2, p. 291-327, maio, 2015.

Disponível em: http://commons.law.famu.edu/famulawreview/vol7/iss2/8 . Acesso em: 12 abr. 2020.

DRUMMOND, José Augusto. Aventuras e desventuras de um biopirata. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 4, n. 3, p. 549-552, set.- dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v4n3/v4n3a12. Acesso em: 09 fev. 2020.

DUQUE, Bruna Lyra; PEDRA, Adriano Sant’Ana. os deveres fundamentais e a solidariedade nas relações privadas. Revista de Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v. 14, n. 14, p. 147-161, julho/dezembro de 2013. Disponível em: https://revistaeletronicardfd.unibrasil.com.br/index.php/rdfd/article/view/345. Acesso em: 14 nov. 2020.

FIGUEIRA, Laura Fernandes. Biopirataria: o cupuaçu. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 20, n. 4300, 10 abr. 2015. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/37567. Acesso em: 20 abr. 2020.

FIORILLO, Celso Antônio Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 1ª edição, São Paulo: Saraiva, 2000.

NEVES, Lucas; COLETTA, Ricardo Della; FERNANDES; Talita. Macron diz que discutir status internacional da Amazônia é “questão que se impõe”. Folha de São Paulo, São Paulo, agosto, 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/08/macron-diz-que-discutir-estatuto-internacional-da-amazonia-e-questao-que-se-impoe.shtml. Acesso em: 16 out. 2019.

GOMES, Rodrigo Carneiro. O controle e a repressão da biopirataria no Brasil. Revista do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, ano 21, n. 2, p. 30, fev. 2009. Disponível em: https://www.cjf.jus.br/caju/amb3.pdf. Acesso em: 13 nov. 2020.

GOMES, Magno Federici; SAMPAIO, José Adércio Leite. Biopirataria e saberes tradicionais: as faces do biocolonialismo e sua regulação. Revista Paths of the Right, Beautiful Horizon, n. 34, v. 16, pág. 91-121, jan./abr. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18623/rvd.v16i34.1274. Acesso em: 15 nov 2020.

GONÇALVES, Luísa Cortat Simonetti; FABRIZ, Daury Cezar. Dever Fundamental: A Construção de um Conceito. In: MARCO, Cristhian Magnus De; PEZZELLA, Maria Cristina Cereser; STEINMETZ, Wilson (Org.). Série Direitos Fundamentais Civis: Teoria Geral e Mecanismos de Efetividade no Brasil e na Espanha – Tomo I. Santa Catarina. Unoesc. 2013. p. 87-96. Disponível em:

https://www.academia.edu/36402794/GON%C3%87ALVES_LCS_FABRIZ_DC._Dever_fundamental_-a_constru%C3%A7%C3%A3o_de_um_conceito.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

IADEROZZA, Fábio Eduardo. Neoliberalismo, sistema de patentes e a liberalização do biomercado emergente no Brasil na década de 1990: a privatização do conhecimento tradicional e da biodiversidade nacional. Tese Doutorado em Geografia- Universidade Estadual de Campinas

Instituto de Geociências, Campinas, São Paulo, nº256, 2015. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/287757/1/Iaderozza_FabioEduardo_D.pdf. Acesso em: 16 out. 2019

MENEZES NETO, Elias Jacob de. As novas configurações da soberania em uma sociedade hiperconectada. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais, Vitória, v. 19, n. 3, p. 65-98, set./dez. 2018. Disponível em: https://sisbib.emnuvens.com.br/direitosegarantias/article/view/1551. Acesso em: 13 nov. 2020.

MOREIRA, Eliane Cristina Pinto. Visão geral da Lei 13.123/2015. In: _______; PORRO, Noemi Miyasaka; SILVA, Liana Amin Lima da (org). A “nova” lei n.º 13.123/2015 no velho marco legal da biodiversidade: entre retrocessos e violações de direitos socioambientais. São Paulo, Inst. O direito por um Planeta Verde, 2017, p-66-72.

OLIVEIRA, Assis da Costa; SANTOS, André Filipe Pereira Reid dos. Direitos das crianças, políticas de desenvolvimento e práticas empresariais: parâmetros de garantias jurídicas nos grandes empreendimentos no Brasil. Soberania e superação do Estado constitucional moderno. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais, Vitória, v. 17, n. 2, p. 107-154,Jan./dez. 2016. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5911045.pdf . Acesso em: 13 nov. 2020.

PANCHERI, Ivanira. Biopirataria: reflexões sobre um tipo penal. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, São Paulo, v. 108, p. 443 – 487. jan./dez. 2013. Disponível em:

http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67993. Acesso em: 26 out. 2019.

PEDRA, Anderson Sant’Ana; PEDRA, Adriano Sant’Ana. Dever fundamental de pagar tributos, omissão legislativa inconstitucional e descolamento provisório da competência legislativa. In: BUSSINGER, Elda Coelho de Azevedo. Direitos e deveres fundamentais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2012, p. 67-78.

PEDRA, Adriano Sant’Ana. A importância dos deveres humanos na efetivação de direitos. In: ALEXY, Robert; BAEZ, Narciso Leandro Xavier; SANDUHLER, Hans Jorg; HAHN, Paulo. Níveis de Efetivação dos direitos fundamentais civis e sociais um diálogo Brasil e Alemanha. Joaçaba, Editora: Unoesc, 2013, p. 281-296.

_______. Los deberes de las personas y la realización de los derechos fundamentales. Estudios Constitucionales, Santiago, a. 12, n. 2, p. 13-28, jul./dez. 2014. Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-52002014000200002. Acesso em: 13 nov. 2020.

PENHA, Giovanna Burgos Ribeiro da. Biodiversidade e repartição de benefícios: o combate à biopirataria no contexto pós-nagoya brasileiro. 2012. 86 f. Monografia (Graduação em Direito) – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Direito, Fortaleza (CE), 2012. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/27831/1/2012_tcc_gbrpenha.pdf. Acesso em: 26 out. 2019.

ROSA, Alexandre Morais da. O que resta do estado nacional em face da invasão do discurso da law and economics. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais, Vitória, n. 7, p. 153-183, jan./jun. 2010. Disponível em: https://sisbib.emnuvens.com.br/direitosegarantias/article/view/82. Acesso em: 13 nov. 2020.

SACCARO JUNIOR, Nilo L. A regulamentação de acesso a recursos genéticos e repartição de benefícios: disputas dentro e fora do Brasil. Ambient. Soc, vol.14, nº 1, São Paulo, Jan-June, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-753X2011000100013. Acesso em: 13 nov. 2020.

SÁNCHEZ-BRAVO, Álvaro. Biodiversidade na União Europeia: estratégia de preservação. Revista Novos Estudos Jurídicos - Eletrônica. Vol. 16, Nº 3, Pág. 256-267, set-dez, 2011. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/nej/article/view/3410. Acesso em: 13 nov. 2020.

_______. Iniciativas de la Unión Europea en la lucha contra el cambio climático. Rev. Ciên. Jur. e Soc. da Unipar. Umuarama, Vol. 11, Nº 1, Pág. 247-273, jan.-jun, 2008. Disponível em: https://revistas.unipar.br/index.php/juridica/article/view/2260/1861. Acesso em: 13 nov. 2020.

_______. iniciativas de protección penal del medio ambiente en la unión europea. Hiléia - Revista de Direito Ambietal da Amazônia, Universidade do Estado do Amazonas- UEA, Manaus, ano 3, nº 4, jan-jun, 2005, p. 15-33. Disponível em: http://www.pos.uea.edu.br/data/direitoambiental/hileia/2005/4.pdf. Acesso em: 13 nov. 2020.

SANTANA, Irene. Potencial farmacológico de espécies da Amazônia é tema de palestra no IV CBRG. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, 2016. Disponível em: https://www.embrapa.br/recursos-geneticos-e-biotecnologia/busca-de-noticias/-/noticia/18162156/potencial-farmacologico-de-especies-da-amazonia-e-tema-de-palestra-no-iv-cbrg. Acesso em: 16 out. 2019.

SANTOS, Boaventura de Souza; MARQUES, Maria Manuel Leitão; PEDROSO, João. Os tribunais nas sociedades contemporâneas. O caso Português. Publicação seriada do Centro de Estudos Sociais. Oficina do CES, Coimbra, nº65, 1995. Disponível em: https://estudogeral.uc.pt/bitstream/10316/10965/1/Os%20Tribunais%20nas%20Sociedades%20Contempor%c3%a2neas.pdf. Acesso em: 11 nov. 2020.

SOUZA, André de Mello. O acordo sobre os aspectos dos direitos de propriedade intelectual relacionados ao comércio (TRIPS): implicações e possibilidades para a saúde pública no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA, 2011. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1615.pdf. Acesso em: 16 out. 2019.

TAVARES, Henrique da Cunha; PEDRA, Adriano Sant’Ana. A eficácia dos deveres fundamentais. Derecho y Cambio Social. Lima, ano XI, v. 37, jul./set, p.1-19, 2014. Disponível em: http://www.derechoycambiosocial.com/revista037/A_EFICACIA_DOS_DEVERES_FUNDAMENTAIS.pdf . Acesso em 10 out. 2019.




DOI: https://doi.org/10.17345/rcda2876



Enllaços refback

  • No hi ha cap enllaç refback.


Copyright (c) 2020 Revista Catalana de Dret Ambiental